ProNautica Lanchas & Jet Ski
Tchello

::: Colunas do Tchello :::
leia mais Leia outras colunas






 

 

 

 

 


Fabricar motores, o próximo desafio da indústria náutica brasileira



>  14/08/2011



A indústria náutica no Brasil deu um grande salto nos últimos anos: além de fabricar cascos de diversos tipos e tamanhos, também está fabricando uma série de acessórios de embarcações, desde de eletrônicos a hélices, e acessórios em geral. Mas, resta um grande desafio: o de fabricar motores.

Fabricar motores

Hoje 100% das embarcações vendidas utilizam motores importados. Não que não tenhamos a tecnologia necessária para produzi-los, mas com o a atual baixa do dólar, creio não ser muito interessante economicamente. Porém, até quando isso vai durar?

No passado recente, fabricou-se por aqui não só os motores, mas o jet ski completo, quase que 100% nacional, e havia mais de um fabricante. No entanto, o fator econômico e tecnológico fez a indústria nacional sucumbir. No campo econômico, os numerosos altos e baixos do cambio e da economia foram fatores decisivos. Já no campo tecnológico, estávamos no tempo dos motores a 2 tempos, carburados, os quais estão com seus dias contados no mercado. Também não se pode dizer que desenvolvíamos motores, o que era feito por aqui era pura cópia dos importados.

Fabricar motores

Nas lanchas foram muito utilizadas versões de motores automotivos, tanto a diesel quanto a gasolina “marinizados”, como os MWM e Chevrolet 6 cilindros. Mas, cá entre nós, era o que se chama de 2 alegrias, a de quando se adquiria e a de quando se livrava do mesmo!

Recentemente o entusiasta renomado preparador de motores, o gaúcho Adail Cunha, conhecido como Bolinha no meio das competições, resolveu construir um motor totalmente nacional, e que tivesse tecnologia de “ponta” , podendo ter várias aplicações, como nos jet, lanchas e até em pequenas aeronaves como ultraleves etc.

Fabricar motores

Após três anos de muito trabalho e pesquisa, ele apresentou recentemente o protótipo de seu novo motor, totalmente nacionalizado e desenvolvido por ele com parceria da Fuel Tech. O motor de 1000 cc pode chegar a 200 HP na versão turbo, pesa 80 quilos e pode ser utilizado em vários veículos, jets, barcos, ultra-leves e outros, já que possui baixo peso e ótima durabilidade. Ainda, a maioria das peças é facilmente encontrada no mercado automotivo. Toda eletrônica é nacional e de última geração desenvolvida pela já citada Full Tech, que desenvolve as eletrônicas dos Stock Car e motores de alta performance. Possui acelerador eletrônico, (sem cabos) e utiliza na versão turbinada um turbo compressor Garrett KKK. O motor é com cárter seco e bloco usinado em alumínio, pistões forjados e bielas forjadas e fraturadas para alta resistência do motor.

Fabricar motores


Além de desenvolver o motor, Bolinha também fez um novo casco de jet ski stand-up (em pé), no qual desenvolveu um chassi para fixação do motor, totalmente em inox, onde o casco do jet torna-se apenas um acessório do conjunto. O casco além de abrir no meio para facilitar a manutenção, é totalmente vedado, não permitindo entrada de água. A turbina de propulsão, trim hidráulico e tudo mais no jet foi por ele desenhado e desenvolvido.

Dentro de um ano o motor deverá estar em linha de produção, com preço muito competitivo em relação aos importados, e, como citado acima, poderá equipar vários tipos de veículos. Ele procura agora por empresas interessadas em produzi-lo em série.

Fabricar motores

Outra coisa pouco difundida no Brasi, são as lanchas a hidro-jato, como os jet skis e jets boats. São muito eficientes, proporcionam navegação em locais mais rasos, e uma série de vantagens, tais como a manutenção mais simples já que o sistema não possui engrenagens para engates, óleos para trocar etc..

Bom fica aí a dica. Do jeito que vai a indústria náutica no Brasil, já está em tempo de fabricarem motores por aqui!

Fabricar motores

 

Fabricar motores

 

Fabricar motores

 

topo

 

 
     
 
 
 

 

Passeios Floripa
Passeios, a nova moda entre os jet skiers…
Teste do novo Mormaii Belassi 315 hp
Passando pelo Rio: Do Rio Boat Show, com as poucas novidades do mundo do jet ski, às sugestões para alteração da Norman, com a regulamentação de vários esportes náuticos no Brasil
Riding in Lake Tahoe !
Fly Board - E o Jet Ski ganha mais um acessório!
Vejam como foi a abertura do Mundial de Freeride 2012 na Europa!
Em Defesa do jet ski
Nem lancha nem jet ski, os jets boats são a sensação do verão!
O “mercado” de jets roubados só aumenta!
Fabricar motores, o próximo desafio da indústria náutica brasileira
O Freeride ou Jet Waves dá o pontapé inicial em mais um Campeonato Mundial
Os novos pilotos atacam novamente!
Campeonatos de jet começam com tudo em 2011
Passeios mais longos, a onda do verão!
Santa Catarina - Um estado inovador
Você já tem o Arrais, mas sabe navegar??
Jet-ski, vilão ou herói!
Dicas de como manter seu equipamento
 Jet Waves 10 - a história de um campeonato
Dicas para comprar um Jet Ski usado
Solidariedade a brasileira ...
Competição : é hora de rever a legislação !!!
A primeira vez...!
E o mercado vai bem, obrigado!
Como é um jet de freeride?
Novos pilotos - 1º Campeonato Brasileiro de Tow-in
Zona de risco
Zona de risco - 2
Sling Waves, o jet ski unindo 2 tribos!
A senadora e o jet ski
O verão vem aí e os velhos problemas também!!!
E o Freeride conquista o mundo !!
História de um jet ski
A explosão do Tow-in
1º IFWA Freeride World Campionship Tour
As leis que deveriam mudar!!!
Uma história evolutiva dos PWC
A Chave corta-corrente
O futuro do Freeride está nas mãos do Brasil
Roubo de Jet Ski, o que fazer?
Regulamentação do Tow-in
Entrevista - Tchello
Defesa do Jet Ski
Jet Waves - Motocross ou Surf !!!
E os 4 tempos vem aí !
Um novo conceito em Jet Ski Park
E o verão está aí !
Expedição Free Load - Jet Pilot em SC
Protesto !!!!!!!!!!!!!!
O Jet como divisor de classes sociais
O inverno chegou
Verão sem acidentes